Homemade home

Adoro coisas homemade. Por isso faço cookies ao invés de comprar prontos, faço desenhos em camisas (com tinta ou estêncil) para dar de presente e quadrinhos simpáticos*. :)

Isso, claro, também se aplica à casa. Acho que fazer você mesmo a decoração, a pintura (quando dá) ou a disposição dos enfeites faz com que o ambiente fique muito mais com a sua cara. E acho isso bom. Porque se você sente-se bem em casa, seu cantinho deixa de ser uma edificação de concreto e passa a ser um lar.

Acho que a diretora de redação da Casa e Jardim, Simone Quintas, que assina o Blog Lá em casa, pensa assim também. Ela, que diz que não pinta bem, não desenha bem e nem borda bem, tenta e consegue fazer coisas jeitosas e fofas. Como essa parede do quarto da filha:

Ela reuniu ideias interessantes, fez um quadrinho e juntou outras coisinhas mimosas (sem trocadilhos, por favor) para fazer um canto único e pessoal. Mais ou menos como eu tentei fazer quando fiz uns improvements na minha sala (que eu mostrei no post Apês pequenos).

Esses são exemplos de como pouco dinheiro e muita disposição fazem a diferença e podem criar ambientes que te representam de verdade.

E aí, que tal tentar também? ;)

*Eu e meu namorado acabamos de fazer um quadrinho lindo para dar de presente de casamento para um casal querido. Fotos em breve.



Tagged: , , , ,

1 comment

  1. [...] Isso porque as personagens (e, aparentemente, as verdadeiras Julie Power e  Julia Child) adoravam estar em casa, em suas cozinhas, salas e afins. Que, para elas, eram ambientes que, apesar de nem sempre serem o espaço dos sonhos eram, ainda assim, lares. O que eu considero muito importante, como já disse no post Homemade home.  [...]